segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Música & Dança Carimbó : Cultura brasileira

História do Carimbó

A mais extraordinária manifestação de criatividade artística do povo paraense foi criada pelos índios Tupinambá que, segundo os historiadores, eram dotados de um senso artístico invulgar, chegando a ser considerados, nas tribos, como verdadeiros semi-deuses.
Inicialmente, segundo tudo indica, a "Dança do Carimbó" era apresentada num andamento monótono, como acontece com a grande maioria das danças indígenas. Quando os escravos africanos tomaram contato com essa manifestação artística dos Tupinambá começaram a aperfeiçoar a dança, iniciando pelo andamento que , de monótono, passou a vibrar como uma espécie de variante do batuque africano.

Por isso contagiava até mesmo os colonizadores portugueses que, pelo interesse de conseguir mão-de-obra para os mais diversos trabalhos, não somente estimulavam essas manifestações, como também, excepcionalmente, faziam questão de participar, acrescentando traços da expressão corporal característica das danças portuguesas. Não é à toa que a "Dança do Carimbó" apresenta, em certas passagens, alguns movimentos das danças folclóricas lusitanas, como os dedos castanholando na marcação certa do ritmo agitado e absorvente.
Coreografia:

A dança é apresentada em pares. Começa com duas fileiras de homens e mulheres com a frente voltada para o centro. Quando a música inicia os homens vão em direção às mulheres, diante das quais batem palmas como uma espécie de convite para a dança. Imediatamente os pares se formam, girando continuamente em torno de si mesmo, ao mesmo tempo formando um grande círculo que gira em sentido contrário ao ponteiro do relógio. Nesta parte observa-se a influência indígena, quando os dançarinos fazem alguns movimentos com o corpo curvado para frente, sempre puxando-o com um pé na frente, marcando acentuadamente o ritmo vibrante.

As mulheres, cheias de encantos, costumam tirar graça com seus companheiros segurando a barra da saia, esperando o momento em que os seus cavalheiros estejam distraídos para atirar-lhes no rosto esta parte da indumentária feminina. O fato sempre provoca gritos e gargalhadas nos outros dançadores. O cavalheiro que é vaiado pelos seus próprios companheiros é forçado a abandonar o local da dança.

Em determinado momento da "dança do carimbó" vai para o centro um casal de dançadores para a execução da famosa dança do peru, ou "Peru de Atalaia", onde o cavalheiro é forçado a apanhar, apenas com a boca, um lenço que sua companheira estende no chão. Caso o cavalheiro não consiga executar tal proeza sua companheira atira- lhe a barra da saia no rosto e, debaixo de vaias dos demais, ele é forçado a abandonar a dança. Caso consiga é aplaudido.
Indumentária:

Todos os dançarinos apresentam-se descalços. As mulheres usam saias coloridas, muito franzidas e amplas, blusas de cor lisa, pulseiras e colares de sementes grandes. Os cabelos são ornamentados com ramos de rosas ou jasmim de Santo Antônio. Os homens apresentam-se com calças de mescla azul clara e camisas do mesmo tom, com as pontas amarradas na altura do umbigo, além de um lenço vermelho no pescoço.
Denominação:

A denominação da "Dança do Carimbó" vem do titulo dado pelos indígenas aos dois tambores de dimensões diferentes que servem para o acompanhamento básico do ritmo.

Na língua indígena "Carimbó" - Curi (Pau) e Mbó ( Oco ou furado), significa pau que produz som. Em alguns lugares do interior do Pará continua o título original de "Dança do Curimbó".

Mais recentemente , entretanto, a dança ficou nacionalmente conhecida como "Dança do Carimbó", sem qualquer possibilidade de transformação.
Instrumentos típicos:

O acompanhamento da dança tem, obrigatoriamente, dois "carimbos" (tambores) com dimensões diferentes para se conseguir contraste sonoro, com os tocadores sentados sobre os troncos, utilizando as mãos à guisa de baquetas, com os quais executam o ritmo adequado.

Outro tocador, com dois paus, executa outros instrumentos obrigatórios, como o ganzá, o reco-reco, o banjo, a flauta, os maracás, afochê e os pandeiros. Esses instrumentos compõem o conjunto musical característico, sem a utilização de instrumentos eletrônicos

Heróis Nacionais

AIMBERÊ TAMOIO 1567

http://www.vermelho.org.br/hoje/0120g.jpg
1
azuirfilho · Campinas, SP
12/12/2008 · 328 · 83
AIMBERÊ TAMOIO 1567

Índio Brasileiro ideal, foi contra qualquer escravidão.
Modelo de defensor nacional, que enfrentou a exploração.
Não aceitava subjugação, Comandante de Guerreiros.
Contra toda Escravidão, Aimberê Herói Brasileiro.

Homem generoso na vitória, cidadão terrível no lutar.
Jóia rara da nossa História, temos de nele nos mirar.
Representava uma Nação, seu discurso era verdadeiro.
Contra toda Escravidão, Aimberê Herói Brasileiro.

Combatia a expropriação, na vanguarda a comandar.
Contra abandono e traição, é um Índio pra gente imitar.
Defendendo o povo ancião, contra escravista fazendeiro.
Contra toda Escravidão, Aimberê Herói Brasileiro.

Era Primavera em alegria, e um inverno aconchegante.
Como verão era a energia, no céu, terra e mar atuante.
Humano é pra ser irmão, um ser reflexivo por inteiro.
Contra toda Escravidão, Aimberê Herói Brasileiro.

Um espírito organizador, preparou uma fuga espetacular.
Índio dinâmico e batalhador, jamais se deixava sujeitar.
Nosso valoroso guardião, atento vigoroso e sobranceiro
Contra toda Escravidão, Aimberê Herói Brasileiro.

Um Guerreiro de brilho, de pensamento e do filosofar.
Do Chefe Kairuçu era filho, mostra teve a quem puxar.
Enfrentava toda a exploração, combatia todo traiçoeiro.
Contra toda Escravidão, Aimberê Herói Brasileiro.

Um Comandante tão amado, Índio incansável e valente.
Qualquer hora estava preparado, como um santo vivente.
Coragem, inteligência e visão, era leal ético e altaneiro.
Contra toda Escravidão, Aimberê Herói Brasileiro.

Comandou a Confederação, Tamoio com raça e glória.
Modelo para qualquer geração, está na nossa memória.
Não aceitava usurpação, e nosso povo dele é herdeiro.
Contra toda Escravidão, Aimberê Herói Brasileiro.

AzuirFilho e, Turmas: do Social da Unicamp e de Amigos
De: Rocha Miranda, Rio, RJ e de Mosqueiro, Belém, PA.


Poesia de Homenagem a Aimberê 20-01-1567, Comandante da Confederação dos Tamoios , Foi o digno sucessor de Cunhambebe, Héroi no comando da Luta contra a Escravização nas terras do Brasil onde os índios aceitavam a convivência pacífica, conforme a gente vê no quadro da Primeira missa no Brasil mas, não aceitavam de forma alguma o sistema de Escravidão. Com os Franceses da Franca Antártica já se experimentava essa convivência Pacífica, entre Índios, franceses, náufragos de diversas nacionalidades e até de portugueses sobreviventes dos combates vitoriosos quando do Comando de Cunhambebe da Confederação dos Tamoios que aceitou a Paz de Iperoig e viveram bem até que os portugueses traiçoeiramente quebraram essa paz deUbatuba e praticamente dizimaram os Índios.
Aimberê é uma Grande Comandante, filho de Caicuçu que tinham sido escravizados pelos Portugueses de Brás Cubas que batiam no velho Caicuçu até levarem-no a morte e revoltarem todos os Índios que com Aimberê fugiram e se integraram com Cunhambebe nas Lutas contra a Escravidão. Caicuçu era Velho, era ancião era na língua dos índios um Tamoio e vai dar nome a Confederação. É Uma História de muito Heroísmo e romantismo diante da ferocidade dos Escravistas que vão manchar tudo de sangue ferro e fogo, sem que consigam matar o Sonho de liberdade que estava vivo nos Índios e, que esta vivo na gente. Cada Humano é um Tamoio contra toda escravidão.


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Chá-de-bugre, Cafezinho-do-mato, Guaçatunga, Carvalhinho
Chá-de-bugre, Cafezinho-do-mato, Guaçatunga, Carvalhinho | 

Porangaba

Conhecido no Brasil também como porangaba, o chá-de-bugre  é uma pequena árvore originária de nosso país, que também é encontrada na Argentina e Paraguai, sendo também  conhecida por café do mato, já que seus frutos parecem com os do café torrado e com eles se produz uma bebida que substitui o café.
Esse chá tem diversas indicações de uso, mas, talvez a mais procurada seja a de emagrecedor. A planta é usada no preparo do fitoterápico bastante conhecido, Pholia magra, que é para esse fim, além de inibidor do apetite. Como a ação desse chá é de causar a sensação de saciedade, deve ser tomado antes das refeições por quem deseja usá-lo no emagrecimento.
Ele é poderoso diurético, eliminando as toxinas do organismo através da urina, estimula a circulação sanguínea, mais um motivo por que reduz a celulite. Ele funciona na queima de gorduras abdominais profundas, sendo usado em compostos que utilizam a complementação de outras plantas medicinais estimulantes, como o ginseng, guaraná, chá verde, etc. que, somados à cafeína contida no chá-de-bugre, os torna estimulantes poderosos, que também contribuem para a queima calórica. As pessoas que sofrem com ansiedade, insônia, nervosismo, estresse, etc. devem tomar muito cuidado com o consumo, por causa desses efeitos estimulantes, assim os que sofrem de problemas cardíacos ou hipertensão, já que ele tem ação cardiotônica, ou seja, é uma espécie de tônico para o coração, mas, como pode interagir com outros medicamentos, não pode ser tomado sem conhecimento de seu cardiologista.


Fonte: Conheça os benefícios do chá-de-bugre (cordia salicifolia) 


Outro cuidado importante com o uso: como é diurético, é imprescindível que se beba muita água enquanto se faz uso dele, para que não aconteçam problemas ligados à hidratação do organismo, além de se repor os minerais perdidos na eliminação da urina.

Algumas indicações do chá-de-bugre

  • Previne câncer;
  • Celulite;
  • Febre;
  • Herpes;
  • Obesidade;
  • Perda de peso;
  • Má circulação;
  • Cicatrizante de feridas;
  • Antivirótico;
  • Cardiotônico;
  • Inibidor de apetite;
  • Diurético;
  • Febrífugo;
  • Estimulante.


Fonte: Conheça os benefícios do chá-de-bugre (cordia salicifolia) 

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Espiões Americanos no Brasil

01/09/2013 22h35 - Atualizado em 02/09/2013 11h57

Documentos da NSA apontam Dilma Rousseff como alvo de espionagem

Papéis 'ultrassecretos' foram obtidos com exclusividade pelo Fantástico.
Ministro diz que Brasil vai cobrar explicações formais dos Estados Unidos.

Do G1, com informações do Fantástico
1667 comentários
Documentos classificados como ultrassecretos, que fazem parte de uma apresentação interna da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, obtidos com exclusividade pelo Fantástico, mostram a presidente Dilma Rousseff, e o que seriam seus principais assessores, como alvo direto de espionagem da NSA. Um código indica isso. O presidente do México, Enrique Peña Nieto, também foi um alvo, segundo os documentos.
A revelação foi feita em reportagem exclusiva exibida no Fantástico deste domingo, 1º (veja no vídeo acima).  Passo a passo, a reportagem de Sônia Bridi e Glenn Greenwald  mostra como o maior sistema de espionagem do mundo está de olho no Brasil e como a NSA consegue monitorar as comunicações no centro do poder, em Brasília, inclusive da presidente Dilma Rousseff.

O jornalista Glenn Greenwald foi quem recebeu os papéis das mãos de Edward Snowden - o ex-analista da NSA que deixou os EUA com documentos da agência com a intenção de divulgar o sistema de espionagem americano no mundo.
Glenn afirmou que recebeu o documento na primeira semana de junho, quando esteve com Snowden em Hong Kong. “Ele me deu esses documentos com todos os outros documentos no pacote original.”

O pacote tinha milhares de documento secretos. Glenn analisou esses papéis com Snowden durante uma semana em Hong Kong. Pouco depois, Snowden fugiu para a Rússia, onde passou 38 dias na área de trânsito do aeroporto de Moscou, até ter seu pedido de asilo aceito no país.

Durante a produção, a reportagem conversou com Snowden por um programa de bate-papo protegido contra espionagem. Escondido em algum ponto do território russo, ele disse que por exigência do governo local não pode comentar o conteúdo dos papéis, mas disse que acompanha a repercussão que os documentos estão tendo pelo mundo, inclusive no Brasil.

Fantástico: como é que a gente pode avaliar o documento e saber se foram operações que foram consumadas, e não apenas projetos?

“Ficou muito claro, com esses documentos, que a espionagem já foi feita, porque eles não estão discutindo isso só como alguma coisa que eles estão planejando. Eles estão festejando o sucesso da espionagem”, afirmou Glenn.

Os documentos mostram que foi feita espionagem de comunicações da presidente Dilma com seus principais assessores. Também é espionada a comunicação dos assessores entre eles e com terceiros.
A apresentação secreta se chama "filtragem inteligente de dados: estudo de caso México e Brasil." Segundo a apresentação, o programa possibilita encontrar, sempre que quiser, uma "agulha no palheiro."

O palheiro, no caso, é o volume imenso de dados a que a espionagem americana tem acesso todos os dias, espionando as redes de telefonia, internet, servidores de e-mail e redes sociais. A agulha é quem eles escolherem.

No documento, de junho de 2012, são dois alvos: o presidente do México, Enrique Peña Nieto, então candidato líder nas pesquisas para a presidência, e a presidente do Brasil, Dilma Rousseff.

Como funciona
Selecionado o alvo, são monitorados os números de telefone, os e-mails e o IP (a identificação do computador). É feito o mesmo para os interlocutores escolhidos - no caso, assessores.

O que eles chamam de um “pulo” é toda a comunicação entre o alvo e os assessores. Um “pulo e meio” é quando os assessores conversam entre eles. “Dois pulos” é quando eles conversam com outras pessoas.
Investigação de Peña Nieto
Para espionar o então candidato mexicano Peña Nieto, o serviço de segurança internacional da NSA para América Latina - fez uma ação intensiva. Para isso, usou dois programas - um deles é chamado "Mainway" e serve para coletar o grande volume de informações que passa pelas redes de comunicação.

As mensagens de texto por telefone do candidato também foram interceptadas, usando o programa "Association", que pega as informações que circulam nas redes sociais. Daí, as mensagens vão para outro filtro - o "Dishfire" - que busca por determinadas palavras-chave.
Sob o título "mensagens interessantes", está a prova de que o conteúdo das mensagens foi acessado. Dois trechos são citados. Num deles, Peña Nieto conta quem seriam alguns de seus ministros - que só tomariam posse seis meses depois da eleição.

Investigação da presidente Dilma
Na sequência, vem a explicação de como foi feita a espionagem da presidente Dilma. "Goal" é o objetivo da operação: "melhorar a compreensão dos métodos de comunicação e dos interlocutores da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e seus principais assessores".

O que eles chamam de "sementes" são os endereços eletrônicos e números de telefones monitorados.

Um dos programa usados pela NSA é chamado de "DNI selectors" - que segundo outro documento vazado por Snowden, captura tudo o que o usuário faz na internet, incluindo o conteúdo de e-mails e sites visitados.

Um gráfico mostra toda a rede de comunicações da presidente com seus assessores. No gráfico, cada bolinha representa uma pessoa.

A imagem ampliada mostra que legendas ou nomes de quem teve a comunicação interceptada foram apagados para a apresentação.

No documento, não há exemplos de mensagens ou ligações entre a presidente e seus ministros, como aconteceu quando o agora presidente do México foi mencionado.

Mas na última página o documento diz que o método de espionagem usado é "uma filtragem simples e eficiente que permite obter dados que não são disponíveis de outra forma. E que pode ser repetido." Se pode ser repetido, tudo indica que foi levado a cabo.

Conclui, ainda, dizendo que a união de dois setores da NSA teve sucesso contra alvos de alto escalão: Brasil e México. Alvos importantes, que sabem do perigo de espionagem e protegem sua comunicação. Novamente, se houve sucesso é porque foram exemplos reais.

Comunicações de brasileiros
No mês passado, uma reportagem do jornal “O Globo”, mostrada também no Fantástico, revelou, com documentos vazados por Snowden, que os EUA interceptam milhões de comunicações de brasileiros.

Na ocasião, o embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, negou que e-mails e telefonemas de cidadãos brasileiros estivessem sendo espionados. Admitiu apenas que eram acessados os chamados metadados (o total de conexões, que passavam pelo Brasil).

Falta de clareza
Não está claro se a interceptação das ligações da presidente Dilma foi feita apenas com acesso às redes de comunicação, ou se houve participação de espiões em território brasileiro.

James Bramford, especialista que escreveu três livros sobre a NSA, falou com o Fantástico, em Washington. Ele diz que a NSA tem espiões nas embaixadas e consulados americanos pelo mundo.

“Temos uma grande embaixada em Brasília e um consulado no Rio de Janeiro. A NSA opera nesses prédios”, afirmou. Antenas nas embaixadas podem interceptar sinais de microondas e telefones celulares, disse Bramford.

Ainda em Hong Kong, quando se encontrou com Glenn Greenwald, Edward Snowden comentou os documentos que envolvem a espionagem à presidente Dilma.

Ele disse o seguinte: "a tática do governo americano desde o 11 de setembro é dizer que tudo é justificado pelo terrorismo, assustando o povo para que aceite essas medidas como necessárias. Mas a maior parte da espionagem que eles fazem não tem nada a ver com segurança nacional, é para obter vantagens injustas sobre outras nações em suas indústrias e comércio em acordos econômicos".

No mês passado a revista “Época” publicou com exclusividade um documento comprovando que a espionagem americana é também comercial.

Trata-se de uma carta escrita pelo atual embaixador americano no Brasil, Thomas Shannon, em 2009, quando ainda era subsecretário de estado.

Ele agradece à NSA pelas informações repassadas à diplomacia americana antes da 5ª Cúpula das Américas - um encontro entre os chefes de estado do continente para discutir assuntos comerciais e diplomáticos da região.

Na carta, Thomas Shannon escreveu: "mais de 100 relatórios que recebemos da agência nos deram uma compreensão profunda dos planos e intenções dos outros participantes da cúpula e permitiram que nossos diplomatas estivessem bem preparados para aconselhar o presidente Obama em como lidar com questões controversas".

“Em questões comerciais, saber o que os outros estão pensando antes das reuniões multilaterais é como jogar pôquer sabendo quais as cartas de todos na mesa”, disse Bramford.

Outro documento obtido com exclusividade pelo Fantástico diz que uma divisão inteira da NSA é dedicada à política internacional e atividades comerciais, com um setor encarregado de países da Europa Ocidental, Japão, México e Brasil.
Um terceiro documento ultrassecreto enumera os desafios geopolíticos dos Estados Unidos para os anos de 2014 a 2019. O surgimento do Brasil e da Turquia no cenário global é classificado como risco para a estabilidade regional.

E o Brasil aparece de novo, junto com outros países, como uma dúvida no cenário diplomático americano: nosso país seria amigo, inimigo ou problema? Também são citados Egito, Índia, Irã, Turquia, México.

“Quando o país fica mais independente, mais forte, como o Brasil está (...), competindo com os Estados Unidos, empresas americanas. E por causa disso, o governo americano está pensando diferente sobre o Brasil”, afirmou Glenn.

Fantástico: por que Edward Snowden torna públicos esses documentos?

“Ele me disse: olha, eu acho que a privacidade do norte-americano é muito importante, mas também eu acho que o privacidade dos estrangeiros, das pessoas na América Latina, dos brasileiros, é muito importante também. A importância é igual. E eu não quero proteger somente a privacidade do norte-americano. Eu quero proteger a de todas as pessoas.”

Nesta semana, o jornal americano "Washington Post" publicou o orçamento secreto dos serviços de espionagem americanos, o equivalente a R$ 126 bilhões.

Reação do governo brasileiro
Neste domingo (1º), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, se reuniu com a presidente Dilma Rousseff para discutir a reação as novas revelações de espionagem do governo americano. O governo brasileiro decidiu tomar três medidas: o Ministério das Relações Exteriores vai chamar o embaixador americano no Brasil, Thomas Shannon, para que ele dê novos esclarecimentos, vai cobrar explicações formais do governo dos Estados Unidos e vai ainda recorrer aos órgãos internacionais, como a ONU, para discutir a violação de direitos de autoridades e cidadãos brasileiros.
“Se forem comprovados esses fatos, nós estamos diante de uma situação que é inadmissível, inaceitável, por que eles qualificam uma clara violência à soberania do nosso país. O Brasil cumpre fielmente com suas obrigações e gostaria que todos os seus parceiros também as cumprissem e respeitassem aquilo que é muito caro para um país que é a sua soberania”, disse Cardozo.

O ministro esteve na semana passada nos Estados Unidos, onde se reuniu com o vice-presidente, Joe Biden. Ele levou a proposta de que as comunicações só sejam acessadas com autorização da Justiça e no caso de investigações criminais. A proposta não foi aceita.
Procuradas, as embaixadas dos Estados Unidos e do México não se manifestaram.

Veja o site do Fantástico

domingo, 1 de setembro de 2013

Poetas brasileiros

Algo do céu - em espírito e verdade! 
Algo do céu - em espírito e verdade!
:: Wagner Borges ::
(No Bojo do Vento do Eterno...)

Eu vejo você se debatendo na cama...
Será que é realmente um pesadelo?
Ou um assédio espiritual?
Diga-me você!

Ah, essa febre vem do seu peito...
Porque o seu coração está apertado.
E assim é quando se abafa o Amor.

O vento da noite me mostra o seu rosto...
E eu vejo a tristeza que você esconde.
Vejo o quanto a sua canção foi desviada.
Sim, eu vejo além do que o mundo vê...

A chuva cai na noite - enquanto eu olho além...
E eu vejo os traços do seu rosto antigo.
Sabe?... Mesmo as lágrimas não choradas estão marcadas nele.
E também a solidão que ninguém vê.
E o tempo perdido...

Ah, o Amor real é uma raridade.
E vem acompanhado de grande alegria.
E faz a canção ficar linda demais.
E não cabe num corpo físico.
Porque é presente do Céu.

A chuva continua caindo na noite...
E eu vejo você acordando - sem paz.
Então, em silêncio, penso na Luz.
E desejo-lhe tudo de bom.
Porque eu sei que o pensamento viaja, algures...

Ah, quem sabe o que o vento da noite carrega no seu bojo?...
Talvez, uma canção... Ou uma prece.
Ou o sussurro dos sentimentos que viajam na noite...
E interligam os corações de forma secretas e admiráveis.

Então, por obra e graça da Luz, durma novamente.
E, dessa vez, sonhe com algo bom...
Algo do Céu, que sequer cabe no corpo.
Porque está além - e é uma raridade.

Sim, sonhe...
Enquanto eu olho a chuva na noite...
E deixo a prece viajar no vento.
E ela leva algo que não cabe num corpo...
Algo do Céu.

Ah, quem sabe o que o vento da noite carrega no seu bojo?...

P.S.:
Às vezes, o Céu conversa com os homens.
Mas é preciso compreender sua linguagem.
E isso é com o coração.
Que sabe ler além do que se vê.
Porque ele sabe que isso não se explica...
Só se sente*.



Paz e Luz.
Wagner Borges - mestre de nada e discípulo de coisa alguma, de coração a coração, no bojo do Vento do Espírito...

Descobertas brasileiras

http://www.eso.org/public/brazil/videos/eso1337b/


capa_irmasol
Tudo tem um começo, meio e fim e este será o Sol daqui alguns milhões de anos.
Uma equipe internacional liderada por cientistas do Brasil acaba de anunciar mais um avanço rumo à conclusão desta tarefa. Trata-se da estrela HIP 102152, uma espécie de “irmã gêmea” do Sol.
A astronomia trata estrelas que têm a mesma massa e composições químicas similares, já no caso, a HIP 102152, que fica na constelação de Capricórnio, a 250 anos-luz da Terra, é a estrela mais parecida com o Sol conhecida no universo até hoje. E a mais antiga também: ela é 4 bilhões de anos mais velha.
O estudo foi feito com o Very Large Telescope (VLT) do European Southern Observatory (ESO), equipamento que permite examinar com detalhes as gêmeas solares. O líder da equipe Jorge Melendez, da Universidade de São Paulo diz: “Há décadas que os astrônomosprocuram estrelas gêmeas do Sol, de modo a conhecer melhor a nossa própria estrela, que é responsável por toda a vida em nosso planeta”, e segundo ele a busca pelas estrelas do tipo pode ajudar a entender como o Sol vai ficar quando envelhecer.
O Sol possui baixo nível de lítio, o que causa uma grande dificuldade de estuda-lo, cerca de 1% do que tinha quando a estrela se formou. A ciência já imaginava que a perda do lítio tem a ver com a evolução de uma estrela. Mas com a identificação da HIP 102152, é a primeira vez que os astrônomos viram uma ligação clara entre a idade da estrela e a porção de lítio que ele carrega em sua composição química. “A HIP 102152 tem níveis muito baixos de lítio. Podemos agora ter a certeza que as estrelas à medida que envelhecem, destroem de algum modo o seu lítio”, diz TalaWanda Monroe (Universidade de São Paulo), autora principal do novo artigo no site da ESO.
Fonte : Site da ESO

sábado, 31 de agosto de 2013

PIB cresce acima da mais otimista das previsões

IBGE acaba de divulgar o crescimento do segundo trimestre: 1,5%, quando o topo das estimativas de mercado apontava 1,3%; crescimento em seis meses já é maior do que o previsto por instituições financeiras o ano todo; ontem, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que foi plantado no País um "pessimismo artificial"; investimentos também cresceram com força; ritmo anualizado é de 6%; para o ministro, a "confiança foi restaurada".

Brasil 247 - Mais uma ducha de água fria nos pessimistas. O IBGE acaba de divulgar, nesta manhã, o PIB do segundo trimestre do ano. A economia brasileira cresceu 1,5% no período, o que geraria um ritmo anual de 6%. É um número forte – e que surpreendeu o mercado, uma vez que a mais otimista das previsões apontava crescimento de 1,3%.

No primeiro trimestre, o crescimento havia sido de 0,6%. Com o número do segundo trimestre, já se tem uma expansão superior a 2%, quando instituições financeiras, como o Itaú Unibanco, vinham apontando um desempenho medíocre, ao redor de 1,7% no ano.

Ontem, durante a entrega do prêmio Melhores da Dinheiro, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, falou sobre a economia. "Foi plantado um pessimismo totalmente artificial no País", afirmou, sem antecipar os números do PIB. "Mas isso ficou para trás e o que importa, agora, é olhar para a frente". 

Um dado significativo da pesquisa foi a formação bruta de capital fixo, que aponta que os investimentos cresceram 3,6%. Ou seja: os empresários voltaram a apostar no futuro. "Apesar desse pessimismo artificial, a confiança foi restaurada", disse o ministro Mantega.

Leia AQUI o noticiário da Agência Brasil

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Geração nem-nem cresce no Brasil e no Recife

EMPREGO

Geração nem-nem cresce no Brasil e no Recife

Eles têm entre 16 e 24 anos. Nem estudam nem trabalham e dependem de assistencialismo para sobreviver

Publicado em 11/08/2013, às 05h00

Orkut

Raissa Ebrahim

Sicleide Oliveira, 21, tem três filhos. Dedica todo o tempo ao cuidado das crianças / Foto: Guga Matos/JC Imagem

Sicleide Oliveira, 21, tem três filhos. Dedica todo o tempo ao cuidado das crianças

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Sicleide Oliveira tem 21 anos. É moradora do Alto do Progresso, em Nova Descoberta, Zona Norte do Recife. Com três filhos, ela parou de estudar na 8ª série. Dedica o dia a cuidar das crianças, com a ajuda da mãe, que vive do auxílio do Bolsa Família. O pai atua na informalidade, faz bicos quando dá, e alguns familiares ajudam a complementar a renda. Sicleide faz parte de um grupo que cresce em todo o mundo e que particularmente vem chamando atenção no Brasil. É a chamada “geração nem-nem”: nem estuda nem trabalha. No País, essas pessoas pertencem principalmente às classes de baixa renda.
Na capital pernambucana, representavam, em junho, 26,6% da população entre 16 e 24 anos. São 145 mil jovens totalmente fora do mercado de trabalho. Há dez anos, esse percentual era de 25,2% (148 mil). A taxa no Recife para o período supera a média de 19,4% observada nas seis localidades pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Mensal de Emprego (PME). Além do Recife, também são avaliadas Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. 
Alguns especialistas já falam da “geração nem-nem-nem”. Quando se avalia a fatia de jovens que nem trabalha, nem estuda e nem procura emprego, o percentual, segundo o IBGE, fecha em 22,2% no Recife e em 14,7% na média das seis localidades pesquisadas pela PME. Em 2003, esse número era de 18,6% e 14,5%, respectivamente. 
Num país em que os empresários reclamam que não conseguem preencher vagas por falta de mão de obra qualificada, a situação soa até como um paradoxo. O cenário em que sobra oferta de emprego é o mesmo em que sobra gente que não trabalha nem estuda e, portanto, tem poucas perspectivas de futuro. 
De cada 100 empresários brasileiros, 68 reclamam da escassez de talentos. O número é bem acima dos 35% registrados na média mundial da Pesquisa Anual Sobre Escassez de Talentos 2013 do ManpowerGroup, realizada com quase 40 mil empregadores de 42 países e territórios. O Brasil só fica atrás do Japão (85%). Nas Américas, de um modo geral, as vagas com maior dificuldade de preenchimento são as técnicas, que deveriam ter justamente o jovem como maior foco. 
O desemprego juvenil preocupa e coloca em xeque o futuro econômico do País. Numa população que passa por uma grande transformação demográfica, que tem cada vez mais idosos e mais jovens que demoram para entrar no mercado, especialistas enfatizam que é preciso romper esse ciclo.


     

A Lenda do Pé de Garrafa

A Lenda do Pé de Garrafa
Aspectos Gerais do Mito

Pé de Garrafa
Os Mitos assustadores retratam uma necessidade de explicação para os nossos medos mais profundos...
O Pé de Garrafa é um ente que vive nas matas e capoeiras.Raramente é visto. Mas ouvem sempre seus gritos agudos. Algumas vezes são amendrontadores ou tão familiares que os caçadores procuram-no, certos de tratar-se de um companheiro ou parente perdido no mato. Outras vezes, aqueles gritos, mais parecem coisa do outro mundo.

E quanto mais procuram menos o grito lhes serve de guia, pois, multiplicado em todas as direções, desorienta, atordoa, enlouquece. Então os caçadores acabam perdidos ou voltam para casa depois de muito esforço para reencontrar o caminho conhecido.

Quando isso acontece sabem logo que o temível Pé de Garrafa está por perto. Assim, não será surpresa nenhuma, se, a partir daquele momento, em qualquer parte da floresta, não encontrarem os vestígios inconfundíveis de sua passagem, claramente assinalado por um rastro redondo, profundo, lembrando perfeitamente um fundo de garrafa.

Supõem que o estranho fantasma tenha as extremidades circulares, maçicas, fixando assim os vestígios que lhe servem de assinatura. Vale Cabral [2], um dos primeiros a estudar o Pé de Garrafa, disse-o natural do Piauí, morando nas matas como o Caipora. A julgar pelas enormes pegadas que ficava na areia ou no barro de massapê devia ser de estatura invulgar, talvez maior que dois homens.


Outro historiador, o Dr. Alípio de Miranda Ribeiro[3] foi encontrar o Pé de Garrafa em Jacobina, Mato Grosso. Seu informante, Sebastião Alves Correia, administrador da fazenda, fez uma descrição mais ou menos completa. Disse ele: "O Pé de Garrafatem a figura dum homem; é completamente cabeludo e só possui uma única perna, a qual termina em casco em forma de fundo de garrafa." 

É uma variante do Mapinguariamazônico e do Capelobo. Grita, anda na mata e tem uma pegada circular. Não há nenhuma informação se o Pé de Garrafa mata para comer ou é inofensivo. Também, não há relatos de que já tenha atacado alguém. 

Nas velhas missões de Januária, em Minas Gerais, o mítico Bicho-Homem é também chamado Pé de Garrafa. O Prof. Manoel Ambrósio[4] explica que " o Bicho-Homem tem um pé só, pé enorme, redondo, denominado por isto - pé de garrafa." 

 outro personagem cujo nome é Pé de Quenga, uma espécie de demônio que deixa vestígios semelhantes ao que seu irmão Pé de Garrafaimprime na areia dos riachos e no barro vermelho. São rastros redondos, configurando a intrigante presença de um ser fora do comum. O Pé de Garrafa é sem dúvida o Pé de Quenga. Mas não possui poderes infernais, nem a fome insaciável dos demais monstros da sua categoria. 

Barbosa Rodrigues[5] informa que o Caapora era conhecido em certos Estados como sendo unípede e com um casco arredondado. O Pé de Garrafa possui, claramente, traços característicos do Caapora, doMapinguari, do Capelobo e do Bicho-Homem. A pata redonda, que lhe dá o nome, lembra o Pé de Quenga. De verdade o mito está tão mesclado que oPé de Garrafa, gritador inofensivo do Piauí, perturbador dos caminhos em Mato Grosso, ao chegar em Minas Gerais ganha o nome de Bicho-Homem, e torna-se um devorador insaciável de viajantes e residentes incautos.


Informações Complementares:

Pé de Garrafa
Os Mitos assustadores retratam uma necessidade de explicação para os nossos medos mais profundos...
Nomes comuns: Pé de Garrafa, Pé de Quenga, Bicho-Homem, Homem Selvagem (Espanha).

Origem Provável: A lenda é conhecida no Piauí, Minas Gerais, Mato Grosso, e suas variantes nos estados do Norte do Brasil. É uma variante do Mapinguari Amazônico ou Bicho-Homem mineiro.

Nos países Bascos, Espanha, sabe-se da existência de um mito chamado em língua local de Basayaun ou Vasajaun, que quer dizer "Senhor" ou "Homem Selvagem", cujo pé esquerdo deixa no solo uma pegada redonda.

Mas o ente fantástico brasileiro não tem origem européia.

No mito do Saci Pererê há a menção à uma ave, de nome Mati-Taperê ouPeitica, que deu origem ao mito daMatinta Pereira, cujo canto, semelhante a um grito de lamento, ecoa em todas as direções, deixando confuso quem o escuta, assim como acontece com o enigmático grito do Pé de Garrafa. Outra semelhança com o mito do Saci, deve-se ao fato de também este desorientar os viajantes ou caçadores em trânsito pelas matas mais remotas.
Documentário:

Relato primeiro:


Certa vez, o administrador[5] saiu-se com o seguinte relato:[3]

"Quando os senhores chegarem à mata da Poaia[6], hão de verificar se é ou não verdade o que lhes conto. Nas horas do pôr do sol, quando a gente vem voltando cansado para o rancho, ouve o grito dum companheiro. Para, presta a atenção; o grito se repete. Naturalmente dá resposta e vai em procura do companheiro. Chegado ao lugar donde provinha o grito não vê nada, mas o grito se repete aqui para direita ou para esquerda; nova caminhada, outra vez o grito noutro lugar; por mais que procure nada encontra."

"É o Pé de Garrafa; o rastro está no chão, tal qual o sinal deixado no pó pelo fundo duma garrafa. Se o poaieiro[6] não é bom, está perdido, deu tantas voltas que nunca mais acha a saída. Um conhecido meu encontrou com esse "bicho". Tem a figura dum homem; é completamente cabeludo e só possui uma única perna, a qual termina em casco em forma de fundo de garrafa. Eu nunca o vi, entretanto vi e ouvi os gritos; e os senhores que vão à Mata da Poaia, hão de, pelo menos, ver o rastro como eu".


Percebe-se, antes de tudo, a sinceridade do contador. A natureza do conto, tão intensamente dado como verídico, parece comprovar de sobra o que foi dito.


Relato segundo:


É o mito denominado Pé de Garrafa. Trata-se duma espécie de Caapora que habita as matas, anda pelas estradas ou ronda as casas à noite, gritando como um desesperado. Toda a gente se encolhe nas redes, tomadas pelo medo. Os meninos só faltam morrer... E o bicho pelo escuro a gritar, gritar... De manhã, todos se levantam e vão examinar o solo em torno das cabanas ou o saibro dos caminhos. Não há dúvidas. Era mesmo o Pé de Garrafa que andava por ali na sua resignada penitência.

As provas são os rastros deixados no local, pegadas inconfundíveis das quais lhe veio o apelido invulgar, verdadeiros buracos redondos e com uma saliência no meio, como se aquela coisa enorme tivesse à ponta das pernas não patas, pés, cascos ou garras, mas verdadeiros fundos de garrafa.

Gustavo Barroso - As Colunas do Templo, pp. 254/5. Rio de janeiro, Civilização Brasileira Editora, 1932.